A banda de rock que destruiu corações e casas de shows ao longo de sua curta e estrondosa existência

O poeta inglês William Blake, com seu trabalho “The Marriage of Heaven and Hell” de 1793, influenciou o escritor Aldous Huxley, 161 anos depois, a nomear um de seus trabalhos com um trecho da obra citada. Huxley escolheu a passagem que falava sobre as portas da percepção da mente humana ou “The doors of perception”, nome escolhido para seu livro de 1954. Durante suas vidas, nenhum dos dois poderia imaginar que em 1965, em um belo dia de verão, em “Venice Beach” na Califórnia, teriam seus trabalhos relembrados em uma conversa entre dois jovens estudantes de cinema, que acabariam por nomear sua futura banda de rock psicodélico como “The Doors”.

A banda foi um sucesso e se tornou mundialmente famosa, a musicalidade de Manzarek unida ao talento para compor, cantar e se apresentar de Morrison, formaram a faísca inicial da chama roqueira que conquistaria a juventude dos anos 60 e 70. Para completar a formação, foram convidados mais dois amigos músicos, John Densmore (Bateria) e Robby Krieger (Guitarra), formando assim, um dos quartetos mais famosos do rock mundial.

O The Doors se apresentava em clubes noturnos e bares da Califórnia, acabaram sendo contratados como atração fixa pelo o “Whisky a go go”, uma casa de show que era palco para novas bandas e artistas. Com sua calça de couro preto, apertada, cabeleira assanhada e postura visceral no palco, Jim Morrison conquistou os ouvidos e olhos do presidente e de um produtor da Electra Records, que atuava como olheiro para a gravadora em uma das noites em que o Doors se apresentava. Desse momento em diante, a banda praticamente assinou contrato para gravar seu primeiro disco, dando início assim, a uma breve e louca história de sucesso.

O legado do The Doors é grande, a banda gravou nove albuns ao longo de sua existência, e fez de sua história, a historia do rock mundial. Jim Morrison foi referência para cantores como Iggy Pop, Bruce Springsteen, Patty Smith, Billy Idol, Julian Casablancas, e milhões de fãs ainda compram 2 milhões de álbuns todos os anos em todo o mundo. Com estilo espontâneo, agressivo, arrogante, mas ao mesmo tempo, sexy e carismático, Jim destruiu corações, e casas de shows, ao longo de sua curta e estrondosa carreira. Faleceu na França em 1971 aos 27 anos de idade. A causa de sua morte nunca foi confirmada, no entanto, a versão mais aceita é a de que ele sofreu uma overdose de heroína, aplicada por sua namorada Pamela Courson, também viciada na droga há anos.

Nos aniversários de nascimento e morte de Jim Morrison, fãs fazem fila em frente ao seu túmulo no cemitério Père-Lachaise, em Paris, para celebrar sua música e vida, com muitas danças, bebidas, drogas e rock n roll, exatamente como ele gostaria que acontecesse.