Facebook caminha para o desenvolvimento de Inteligência Artificial mais inteligente que o homem

Esta acontecendo nesse momento uma pesquisa global sobre o comportamento e forma de pensar das pessoas de todo o mundo, o mais intrigante é que o público alvo, os habitantes da espécie homo sapiens no planeta Terra, fazem questão de responder em detalhes, e não apenas isto, eles constantemente melhoram suas respostas, gratuitamente e por vontade própria. O responsável pela pesquisa é o Facebook, que mesmo não chamando a captação de dados sobre a vida dos seus usuários dessa forma, continua a investir cada vez mais em tecnologia para entender a mente humana e para analisar os trilhões de informações doadas por seus usuários ao redor do globo.

O estudo da Inteligência Artificial é um dos maiores interesses do Facebook nos últimos anos, a construção de três laboratórios dedicados ao estudo do tema e a contratação do Professor Yann LeCun, um dos cientistas mais renomados do mundo no estudo de “machine learning” e “deep learning”, campos fundamentais para o desenvolvimento da I.A., mostra que a empresa quer desenvolver uma Inteligência Artificial capaz de desvendar os mistérios do comportamento humano, utilizando os dados obtidos com os seus usuários. A alegação do CEO, Mark Zuckerberg, é que os laboratórios de I.A. se dedicam a estudar tecnologias inteligentes que entendam completamente o que os usuários compartilham e se interessam, para colocá-los em contato com outras pessoas com os mesmos perfis e interesses.

Não é difícil de imaginar os inúmeros usos das informações comportamentais de mais de 1,49 bilhões de usuários da rede social Facebook, além das fotos, vídeos e expressões verbais obtidas via Instagram e Whatsapp, empresas do grupo. O difícil é acreditar que isso servirá apenas para melhorar a comunicação entre as pessoas e a venda de produtos, especialmente quando pensamos que em 2014 o Facebook, sem autorização, manipulou os “feeds” de notícias de mais 500.000 usuários, alterando os números de posts positivos e negativos que eles viam, para realizar um estudo psicológico que buscava saber como as emoções se espalham nas redes sociais, e não apenas isso, mas também realiza a captação de todas as mensagens escritas e depois apagadas pelos usuários, visando entender como estes pensam, agem, reagem e se comportam nas diversas situações.

O panorama indica que em breve surgirá uma I.A. mais inteligente que o homem, capaz de entender completamente o comportamento humano, prever seus pensamentos e ações, além de ter a capacidade de se expressar verbalmente e com expressões faciais humanas, com a veracidade de um espelho. Um verdadeiro roteiro de filme de ficção científica acontecendo em frente aos olhos de todos.

Certamente, surge em muitas mentes a lembrança do que em 2014, disse Stephen Hawking, físico teórico, cosmólogo e um dos mais renomados cientistas da atualidade, sobre a evolução da Inteligência Artificial: “Os seres humanos, que são limitados pela lenta evolução biológica, não poderiam competir, e seriam substituídos”, e continua dizendo “Ela iria decolar por conta própria e se auto melhorar a uma taxa cada vez maior”. Essas afirmações vindas do cientista britânico trouxeram o tema para o centro da mídia e muita gente passou a temer de verdade a possibilidade de algum dia no futuro seus netos estarem sob o domínio de uma Superinteligência Artificial. Esse filme já foi visto em diversas obras de ficção do cinema, nem todas com o final feliz.

Anúncios

3 comentários

  1. Não será muito difícil a inteligência artificial das máquinas dominar a burrice natural dos seres humanos. Enquanto houver vaidade e espelho, haverá exibicionismo e confecionário.

    Curtir

Os comentários estão desativados.